domingo, 21 de agosto de 2011

Insensato Novelão


Gostei do último capítulo! Gostei da revelação de Wanda como a assassina, com uma explicação simples e coerente, nada mirabolante. Gostei de Norma - apesar de assassinada na última semana - ter deixado a Jandira a incumbência de concluir sua vingança contra Léo, em uma cena muito boa. Gostei do fim de Paula, prestando serviço comunitário. Gostei do fim de Eunice, tendo que trabalhar mas sem perder seu ranço de loucura.

Não gostei de Mart´nália cantando o tema de abertura no show final. Não gostei do casamento de Carol e Raul - claro, por não gostar dos personagens! Não gostei dos autores insistirem em meter goela abaixo do telespectador que Lázaro Ramos é um macho alfa irresistível para qualquer mulher - mesmo com uma bola de plástico! Enfim, colocando tudo na balança, os pós e os contras, gostei do último capítulo.

E colocando a novela toda na balança, a conclusão é a mesma. É lógico que Insensato Coração teve muitos pontos negativos, que não a classificam como uma "grande novela", daquelas que entram para a história da Teledramaturgia. A começar, o mais grave de todos e imperdoável: o fato dos autores terem iniciado a novela pra valer lá pelo centésimo capítulo. Digo isto porque antes eu mal conseguia assistir, de tão chata que achava! Depois que Dona Norma sai da prisão e inicia seu plano de vingança é que a novela começa. E Insensato levou 100 capítulos para isso acontecer - não dá pra perdoar!

Assim como não dá pra perdoar os mais chatos casais românticos da história: Marina e Pedro, Carol e Raul, Carol e André. Este último com o  agravante de ser um personagem antipático para o público - mesmo os autores terem criado um pai maldito para ele, mesmo ele ter tido um filho, o que lhe amoleceu o coração, mesmo ele ter tido um problema de saúde grave, mesmo sua música-tema ter sido "Super Homem, a Canção". Nada disso diminuiu a antipatia pelo personagem. E além dos cem primeiros capítulos, a novela ainda amargou umas fases em que nada acontecia. E nós ficamos revoltados com Norma - apesar de todo seu discurso de vingança - cair de quatro por Léo novamente agora na reta final, o que mostrou uma incoerência da personagem. 


Além de Léo e Norma - uma das melhores personagens de Glória Pires -, os destaques foram muitos. Eunice e Ismael, em um casal muito bem bolado. O banqueiro arrogante Cortez de Herson Capri - também, em um de seus melhores personagens em TV. Cristiana Oliveira, perfeita como a presidiária Araci, em uma caracterização impressionante. Cristina Galvão, no auge de sua popularidade pela Jandira e pelas reprises de Vale Tudo e Roque Santeiro no Viva. Thiago Martins, que provou ter amadurecido muito como ator, como o pit-boy Vinícius. E Tia Neném (Ana Lúcia Torre), claro! Tem como não amar a personagem que tantas vezes lavou a alma do telespectador com suas atitudes pra lá de politicamente incorretas!


Também destaco toda a discussão sobre a problemática gay, através do romance de Hugo e Eduardo, fazendo a novela avançar bastante no tema dentro de nossa teledramaturgia. E me pergunto: beijo pra quê? Depois de tudo que a novela discutiu! E olha que tinha mais, já que a Globo censurou algumas cenas.

Mas enfim, Insensato Coração está longe de ser a melhor novela de Gilberto, mas fui testemunha de que fez o Brasil ficar ligado em capítulos-chave, como o da morte de Teodoro, da morte de Araci, da morte de Irene, da morte de Gilvan, do primeiro ataque de Pedro a Léo quando este recebia uma homenagem, do casamento de Pedro e Marina em que Norma leva Léo como seu chofer, do assassinato de Norma, e do gran finale.

E ainda: Insensato Coração "estancou" a crescente queda de audiência que as novelas do horário vinham sofrendo desde Senhora do Destino, em 2005. Isso não é pouca coisa! Resumindo: - como muitos já a chamavam - este foi um Insensato Novelão!

a novela no site: Insensato Coração


22 comentários:

  1. Estou no time dos que viram mais pontos positivos do que negativos. E entre esses estão esses capítulos-chave (ou catárticos!), que fizeram o público comentar e vibrar. Sentia falta disso no horário desde A Favorita.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com quase tudo o que você disse. A única discordância é que eu gostei muito do casal Carol/Raul. Já o André, realmente, foi impossível engolir. Ridículo e inverossímil, foi a coisa mais insensata da novela.

    ResponderExcluir
  3. Gostei resumiu muito bem o que eu penso apesar de que esqueceu de sitar Natalie que roubou a cena varias vezes com Cortez .Outra coisa que eu gostei foi a Norma cair no golpe do Leo duas vezes( talvez o atorGabriel Braga Nunes nao convencesse tamanha paixao) e foi isso que a levou a sua morte
    De resto concordo com tudo achei a Novela muito lenta , principalmente antes da Norma sair da cadeia , o Douglas e a Bibi muito chatos , o Portugues estava otimo pena que morreu , a Tia Nenem deu um show e sobreviveu , a familia da Eunice inexplicavel de tao chata e realmente o Thiago Martins no seu melhor papel como Pit Boy . Gloria Pires perfeita tao inocente como enfermeira , foi se transformando , nunca eh over , agente sempre gosta de ver mais cenas com ela .

    ResponderExcluir
  4. Entre erros e acertos, de fato Insensato Coração causou polêmica, repercussão e catarse, especialmente quanto à ambígua relação entre Norma e Léo. Infinitamente superior a Caminho das Índias e Viver a Vida, e mais bem escrita e correta que Passione, cujo texto deixou a desejar em certas passagens.

    ResponderExcluir
  5. Concordo com a análise. No final o saldo é positivo. Particularmente gostei mais de Celebridade, contudo, foi bem melhor do que as antecessoras (Passione, viver a vida, Caminho das Indias). Só acho que a Norma merecia um final mais bem elaborado. Acho que pela trajetória dela, realmente não dava pra ter happy end, contudo, poderia ter um final, trágico, dramático, mas sem esse ridiculo "Quem matou" que ja perdeu a graça à muitas novelas atrás... (@Allan_lanli)

    ResponderExcluir
  6. E iam matar a Tia Nenen? Li na página da Novela no site! Pelo menos isso não fizeram... Mas mataram ela no ultimo capitulo... merecia uma cena melhor! Tb faltou final pro Roni, Chicão... e pobre da Natália Thimberg... merecia ter sido mais aproveitada!

    ResponderExcluir
  7. Também gostei do último capítulo,porque ele amarrou muitas pontas que ficaram soltas ao longo da novela.Gostei da novela pela ousadia de atacar a homofobia; a hipocrisia dos moralistas(Liga da família...);as difíceis relações familiares,desde a rivalidade entre irmãos(bíblica de Caim&Abel),ao freudiano Complexo de Édipo,Wanda e Leo.Discordo de você quanto à incoerência da Norma.Ela queria se vingar da rejeição,porque era patologicamente apaixonada pelo Leo.Há pontos negativos,claro,mas os positivos são mais fortes.

    ResponderExcluir
  8. Eu concordo com quase tudo, mas gostei mais de "Celebridade" e de "Paraíso Tropical". Eu não conseguia assistir "Insensato Coração" sem me aborrecer com pelo menos uma cena. A incoerência de Norma me irritou um pouco, ela que, até uma boa parte da novela, era dos personagens mais bem construídos. A violência em demasia pesou também. E Gabriel Braga Nunes não tem o carisma de Fábio Assunção e de Wagner Moura, ainda q seja um bom ator. Quanto ao personagem de Lázaro Ramos, conheço vários com o perfil dele...rs. Esperamos agora por Aguinaldo Silva, ainda que ele não seja dos autores que mais gosto.

    ResponderExcluir
  9. Novela chata, caricata, previsível e sem sal. Poucos foram os atrativos, a Glória Pires é a Glória Pires até com o pior personagem do mundo. Acho que novelas hoje em dia com mais de 100 capitulos é suicidio e acabam assim. É om salientar que desde 2005 uma novela das 9 não dá audiência, ou seja, desde Aguinaldo Silva, um monstro de autor que revelou recentemente que ODEIA escrever novela e faz sucesso sempre, e pq? Pq é simples, objetivo e não inventa com o QUEM MATOU?.
    E ele vem ai, vamos esperar.

    ResponderExcluir
  10. Raul de longe a melhor personagem dessa novela. Cara íntegro e honesto. Antônio Fagundes fez a diferença.

    ResponderExcluir
  11. Gostei de Insensato Coração. Pra mim, demorou muito para aparecer o texto do Gilberto Braga. Mas a novela teve o mérito de mudar um pouco a narrativa e trazer uma personagem central (Norma) atípica.
    www.portalcascudeando.blog.com
    @cascudeando

    ResponderExcluir
  12. Quando assisti ao primeiro capítulo, pensei: "poxa, vai ser um novelão". Muita ação, barracos logo de cara, mas depois de um período, a novela estancou, ficou chata. 80% se deve ao casal mais chato de todos os tempos, Pedro e Marina. Tivemos mais uma atuação maravilhosa de Déborah Evelyn, que sempre faz muito bem mulheres desequilibradas, a Tia Neném maravilhosa, Gabino, Natalie, Norma tb form bons personagens..gostei do Douglas tb, mas no final pesaram muito a mão, ficou exageradamente burro, mas o Ricardo Tozzi fez muito bem o papel...não deu pra engolir André, Cecília, Gilda, Oscar e Serginho, muito chatos. Não gostei do casal Carol e Raul, tb. Enfim, pra não me estender mais, achei que a novela deixou a desejar, esperava mais.

    ResponderExcluir
  13. Carlos Roberto Coelho Junior22 de agosto de 2011 07:07

    O Xavier, como de costume, sempre é muito preciso nas análises. Apesar d'eu não ter acompanhado a novela como gostaria, gostei de muitas passagens e gostei bastante da reta final. Pode até parecer piegas, mas li que os vilões teriam um final feliz e tava meio insatisfeito com isso. Gostei do que vi no último capítulo e mais ainda da cena em que todos os marginais se encontram na cadeia e assistem a morte do Leo. Enfim, Foi um último capítulo interessante e coerente com a história.

    Um detalhe que eu observei é que foi uma novela recheada de participações especiais, e repleta de assassinatos.

    ResponderExcluir
  14. Toda a novela eu so queria ver mesmo a Glorinha q é uma artista muito querida por mim. Adoro ver ela atuando e adoro como ela deixa seus personagens humanos, reais. Concordo com o Nilson q esse é um dos melhores papéis dela na tv, se nao o melhor. Alguns personagens poderiam ter sido mais manejados na trama. O FINAL da NATALIE eu adorei... foi muito hilário e gostoso de ver... apesar de eu nao concordar com as atitudes dela q era meio icoerente com a educação q a mãe dela q era uma personagem de carater, havia dado a ela mas enfim... Bibi e Douglas AMO, André, Carol, Raul, Marina e Pedro... eu tinha deixado a IRENE via e Assim como o Henrique e tinha bolado uma trama pra pelo menos tentar deixar a coisa mais emocionante... e tinha Matado o Andre no meio da novela... Ter feito o Raul envolver com LEILA e colocado Wanda e Carol e Leila fazendo as lokas por ele... e claro.. nao saindo do rumo principal da novela... Ja imaginou LEILA gravida de RAUL, a Eunice LOKA por causa da acusação de q os filhos de RAUL tinham matado Luciana e tal... nossa... loucuras e loucuras ... apesar de tudo as outras tramas me agradaram! É isso!

    ResponderExcluir
  15. Eu me pergunto um pouco sobre porque tanta antipatia com Lázaro Ramos. Ele está muito longe de não ser um homem atraente e em Salvador, sim, um homem como ele, é extremamente assediado. Eu não consigo ler isso e não achar que a antipatia tem a ver com o fato dele estar vivendo um personagem de uma classe social e vivendo num tipo de contexto que poucas vezes, a tv consegue propor para homens negros. Um negro não pode ser assediado por quê?

    ResponderExcluir
  16. Nossa Mónica, existem tantos negros bonitos
    e tinha que ser justamente um negro feio pra fazer o papel?!

    ResponderExcluir
  17. Curti muito o post, como sempre. Compartilho das mesmas opiniões a respeito desse novelão, mas senti falta de comentários sobre a turma mais legal da novela: Natalie, 'Dáglas', Bibi e Roni. Destaco outros pontos fracos: o amadorismo do ator que fez o filho do Cortês, o fato de a novela só ter uma balada, e a falta de alguma história boa para a tia Celina, ops, Vitória!
    Tem um post sobre a novela no meu blog também: www.waissfouder.wordpress.com

    ResponderExcluir
  18. ANDRE:"Cito, além de tudo o que já fora mencionado nesta tópica,a ótima trilha sonora da trama,desde o cd nacional...passando pela complementar Samba...até as duas internacionais sendo que o vol-1 mesclava sucessos mais antigos e clássicos enquanto que o vol-2 retratou o novo como por exemplo as canções temas dos pares românticos Rafa e Cecília e de Eduardo e hugo entre outras atrativas também.

    ResponderExcluir
  19. ANDRE:"Outro ponto que percebi,desta vez negativo,foram as participações especiais no decorrer da trama como: Lavínia Vlasak, Dudu Azevedo,Angela Vieira,Vera Fischer, o dono da companhia de táxi aéreo onde Pedro trabalhava, José A. Branco ,Norma Bum...que simplesmente entraram e sairam sem ser percebidos na novela global...fora outras personagens que foram meros coadjuvantes dentro do folhetim.è por esye motivo que muitos acabam migrando para outras emissoras,ainda que alguns destes que foram citados já tenham ido e retornado como Tuca Andrada,a própria Lavínia,Petrônio Gontijo e o grande vilão de Insensato Coração inerpretado por Gabriel Braga Nunes.

    ResponderExcluir
  20. ANDRE:"Concordo com você,Xavier,quanto ao final de Insensato Coração:foi coerente e sem situações mirabolantes como em outras obras atuais da emissora,claro que com algumas forçações de barra e em contrapartida com falhas de continuísmo (cenas da morte de Norma)e esquecimentos em desfechos de algumas personagens).

    ResponderExcluir
  21. A novela Insensato coração chegou ao fim contabilizando mais acertos do que erros. Uma história com a grife Gilberto Braga e Ricardo Linhares não poderia ser diferente. A eterna rivalidade entre od dois irmão foi contada de forma clara, sem barrigas. Gabriel Braga Nunes fez um vilão com charme, reinando absoluto. Deborah Secco foi responsável pelas melhores cenas de humor, pois sua Natalie foi de enfeitiçar todos. A novata Geovanna Lancelotti se destacou como a mocinha Cecília às voltas com os problemas típicos da juventude. O tema homofobia e homossexualidade foi abordado de forma natural, sem floreios e o núcleo gay foi bem estruturado. Ao mesmo tempo que foi um retrocesso a Globo vetar cenas mais ousadas do casal Hugo e Eduardo, a emissora acertou em cheio ao exibir o primeiro casamento gay das novelas brasileiras. Ricardo Tozzi foi outro destaque com seu bronco e romântico Douglas. Maria Clara Gueiros deixou sua marca na trama com as tiradas hilárias se sua Bibi. Valeram as luxuosas participações de luxo, especialmente Cristiana Oliveira e Milton Gonçalves. Como sempre é de praxe em todas as novelas, talentos renomados tiveram seus talentos desperdiçados, como Louise Cardoso, Nathalia Timberg e Bete Mendes. Apesar das poucas cenas, Ana Lúcia Torre teve excelentes momentos ao lado de Natália do Vale. Jonatas Faro teve um fraco desempenho, ao contrário de Thiago Martins. A trilha sonora com excelentes temas da MPB se destacou. Faltou maior destaque para os casais Gabino e Fabíola e Sueli e Cleber. Deborah Evelyn reinou absoluta com sua interesseira Eunice. Bruna Lynzmeier também se mostrou bem segura em seu segundo trabalho. A vingança de Norma foi muito light: Léo a fez sofrer demais para receber aquelas pequenas humilhações e ainda por cima ela continuou apaixonada pelo vilão. Ainda não entendi as inúmeras críticas ao mulherengo André. Por que no último capítulo a Mart'nália fez o show na Barão da Gamboa cantando a música tema da novela ao invés da Maria Rita, que entoou a música durante toda a trama? As cenas do acidente do avião no primeiro capítulo e a fuga de Cortez da prisão foram falsas demais. Outros destaques foram Leonardo Miggiorin como o divertido gay Roni e o Juliano Cazarré na pele do malandro Ismael. Marcos da Rocha

    ResponderExcluir
  22. Quero parabenizar o SBT pelos seus 30 bem vividos anos. Gostei da programação especial mostrando os bastidores da emissora, o QST com os artistas, o Chaves nacional e A praça é nossa relembrando seus grandes personagens. Um grande momento do SBT foi a regravação de Éramos seis e O direito de nascer. Um ponto negativo em toda sua trajetória é a falta de respeito com o telespectador, sem que filmes brasileiros são vetados. Nunca entendi essa postura de Sílvio Santos. Se Daniela Beyruti sonha mesmo voltar a conquistar a vice liderança é necessário que o alto escalão da emissora ouça mais a voz do público respeitando-o e valorizando o cinema nacional. São dois pequenos passos que podem levar o SBT de novo a ocupar o segundo lugar na preferênca do telespectador. Marcos da Rocha,

    ResponderExcluir